quarta-feira, 21 de outubro de 2015

"Reflita e aprenda com a palavra de Deus": O poder cega e mata.

No evangelho de hoje o evangelista Marcos, narra prisão, morte de João Batista, e seu testemunho pela Verdade, a perversidade de Herodíades, esposa de Herodes, e poder corrompido e frágil de Herodes. Jesus havia se tornado conhecido, sua pregação e ensinamento, começava a incomodar os grandes, os poderosos, as autoridades políticas e religiosas. Na ótica deles, Jesus era João que havia João ressuscitado dos mortos, o qual Herodes havia mandado decapitar na prisão. O evangelista narra como João foi morto, seu testemunho firme e veraz diante da sociedade corrompida. João Batista morre por fidelidade a verdade da lei de Deus. 
Herodes simboliza as forças contrárias presente no mundo, que desejam destruir o testemunho da Verdade. Para não perder o poder que corrompe, trai a si mesmo, a sua própria consciência. Ele é um adúltero, e João denuncia abertamente, tal atitude de um homem que deveria dar exemplo de retidão para o povo. Herodes estava vivendo, com sua cunhada Herodíades. Ela alimentava por João Batista grandes desafetos por sua pregação firme que desautoriza, a vivência contrária a lei de Deus. Cegos pelo poder, e pelo desejo de vingança, Herodíades pede na festa de aniversário de sua filha, que agrada Herodes, a cabeça de João Batista. Quer eliminar o profeta de Deus, querem calar sua voz. A voz de João cala na consciência de quem vive de forma contrária a lei de Deus. Herodes corrompido e frágil, medroso e covarde deixa-se também corromper, e pede para decapitar João na prisão, e servir numa bandeja de prata a cabeça de João. 
O justo se torna espetáculo para o ímpio, porém sua voz continuará a ecoar por toda eternidade na consciência e na vida dos maus. O caminho que Jesus irá percorrer será o mesmo caminho de João. João dá testemunho da Verdade diante de Herodes, Jesus dará testemunho da Verdade diante de Pilatos. A morte será o selo de autenticidade que confirmará o profeta como sendo o enviado de Deus. O verdadeiro profeta será sempre fiel, não se deixará corromper, não fugirá diante dos mercenários, mas dará a vida por fidelidade à Verdade como ato supremo de Amor a Deus e à missão.
A nós talvez, não seja pedido hoje dar a vida desta maneira, mas sim ter uma conduta cristã digna, autentica que não se deixa corromper pela sede desenfreada pelo dinheiro, pela cobiça, ganância. Viver os valores do evangelho hoje é um martírio. O homem e a sociedade estão corrompidos. A busca pelo poder e pelo dinheiro conduz a morte muitos inocentes. A sede pelo poder corrói por dentro todo tecido social, e transpassa todas as estruturas, onde tudo e “todos”, vão se tornado corruptos nos menores atos. Do macro ao micro setores da sociedade, a corrupção vai se infiltrando, e corroendo as nossas instituições.
Precisamos de coragem para não ceder diante do mal, nem da mentalidade corrente; audácia para sermos “diferentes” no modo de pensar, de falar, de agir, de escolher; coragem para contestar, em nome da Verdade, mas de estar aberto ao diálogo respeitoso pelas pessoas; coragem para ser e viver como cristão, com coerência entre vida e fé, diante de uma sociedade corrompida, perversa que privilegia e coroa os maus, acolhe os ímpios, sacrifica e mata os inocentes. A verdade não tem lugar neste banquete fúnebre da sociedade dos ímpios. Os valores são pisoteados em vista, da sua sede de poder e desmando. Vivem coroados de mentira, abuso de autoridade, luxúria, cobiça e ganância. O amor ao dinheiro desvia a conduta do ser humano, o corrompe e o corrói. Deus nos livre desta tentação maligna, e nos inspire palavras e ações que sejam condizentes com a fé que professamos e vivemos.
**** Catedral de Guaxupé

# Compartilhar :

Tecnologia do Blogger.